Marketing digital

Como utilizar comparadores de preço para melhorar suas vendas

Pinterest LinkedIn Tumblr

Considerando que, segundo recente pesquisa do E-commerce Brasil, 78,5% dos brasileiros pesquisam preço antes de adquirir um produto, a busca por visibilidade e vitrine é um dos grandes desafios dos donos de e-commerce. Isso porque, quando você ainda é desconhecido, você necessita de estratégias para chamar os clientes para o seu site. Uma dessas estratégias pode ser os comparadores de preço. Mas, o que são?

São sites que pesquisam e exibem os valores de um mesmo item em diferentes lojas virtuais. Assim, os compradores conseguem comparar, em uma mesma página, as várias opções de produtos e preços, além de serviços de entrega, de diversas lojas.

QUAIS AS VANTAGENS?

É um bom meio para os proprietários de e-commerce, pois a divulgação dos seus produtos será feita para usuários muito interessados na compra (ou seja, em estágio avançado do funil de vendas) – pois, quem utiliza esses sites, normalmente já decidiu que vai comprar e está apenas avaliando as ofertas para decidir.

Outra vantagem é a de que o vendedor ainda aumenta o número de visitantes em seu próprio site, já que o consumidor é direcionado para realizar a compra nele. Além disso, esses meios também geram maior credibilidade, pois os usuários se sentem mais confortáveis em comprar nas lojas que aparecem no resultado da pesquisa, principalmente as que tem boas avaliações. Isso pode ser exemplificado pelo banner do comparador de preços Zoom. Você também se sentiria mais confiante para realizar uma compra com uma marca desconhecida se tivesse essas informações, né?

Mas atenção!

Capriche também no seu e-commerce. De nada adianta o comparador transmitir confiança se o seu próprio site não transmite.

Antes de utilizar essa estratégia, você precisa pensar se o seu produto tem um preço competitivo. Pois, pense bem, o nome do site é comparador de preços, o que significa que a principal avaliação é a financeira. Nesse momento, mesmo que o seu produto tenha uma qualidade infinitamente superior ao do seu concorrente, ele não estará em destaque se o seu preço for muito mais alto.

Além disso, a questão do prazo de entrega também é bem importante. Quem nunca pagou um pouquinho mais para receber um produto mais rápido? Atente-se em fornecer prazos acessíveis e dentro da média de mercado. Considere também que as melhores chances de conversão são dos produtos que vendem mais no seu e-commerce.

Coloque o máximo de informações a respeito do seu produto. Facilite a vida do comprador: informe marca, modelo, cor, garantia, etc. Tome cuidado também para se certificar que a integração está ocorrendo bem, de forma que o preço do comparador seja o mesmo do seu site, evitando que o usuário se frustre ao clicar no link visualizando um preço e encontrando outro. Procure se destacar através de promoções, frete grátis, descontos e brindes. Seja criativo!

OBS: ÀS VEZES NÃO VALE A PENA!

Entenda que nem sempre o seu tipo de negócio funciona em um comparador de preços. Aceite! Não adianta investir dinheiro em algo que não lhe dará resultado. Se o seu produto não pode ser comparado (é exclusivo, por exemplo) ou o preço acessível não é um diferencial (todos os seus concorrentes também praticam preços muito baixos), não faz sentido você estar presente lá.

Esses sites são utilizados por compradores que buscam algo que é vendido por muitas lojas. Se o seu produto é especial e tem um nicho de mercado muito específico, o seu cliente não irá procurar lá. Concentre-se em estratégias de marketing voltadas ao seu público-alvo!

QUAL O CUSTO DE COMPARADORES DE PREÇOS?

A cobrança pode ser feita de duas maneiras:

CPC (Cobrança por clique) – a maioria: o vendedor paga determinado valor toda vez que um consumidor em potencial clica no seu link.

CPA (Cobrança por aquisição/ação): o vendedor paga uma pequena porcentagem do valor da venda adquirida por meio do comparador de preço.

COMO DEVO MONITORAR MEUS RESULTADOS?

A parte mais importante do investimento em comparadores de preço é o monitoramento. Isso porque é muito fácil você obter bons resultados, mas também é fácil que você perca dinheiro alocando-o em produtos errados. Dessa forma, você deve analisar diariamente, no Analytics:

Produtos com acesso e conversão: tente manter-se na posição de melhor preço, mas SEMPRE fique atento a sua margem de lucro. Além disso, não coloque seu preço tão abaixo dos concorrentes, pois isso pode gerar desconfiança no usuário;

Produtos com acesso e sem conversão: confira se você possui margem para competir com o melhor preço. Caso você não tenha e o método de cobrança seja CPC, o melhor a se fazer é retirar imediatamente o produto desse comparador de preços. Isso porque você provavelmente só está perdendo dinheiro, visto que as pessoas clicam no anúncio, lhe gerando custo, e não fecham a compra;

Produtos sem acesso: por intuição, você sabe o que fazer. Se o método for CPC, é claro que a melhor opção é retirar esses produtos e substituir por outros. Se for CPA, talvez seja interessante colocar mais produtos no comparador. Lembre-se que isso é normal e você precisa estar constantemente testando e analisando o que converte melhor nesses sites;

Receita de Vendas: é importante você obter esses dados para calcular o ROI (retorno sobre o investimento). Para isso, você irá dividir a receita de vendas pelo custo. Analise se o investimento está dando o retorno que vale a pena para o seu negócio.

PRINCIPAIS COMPARADORES DE PREÇO DO BRASIL

Buscapé

O Buscapé é um dos líderes de mercado, foi fundado em 1999 como um comparador de preços e atualmente é também um marketplace, apresentando uma variedade absurda de categorias. Dessa forma, ele trabalha com dois tipos de anúncios:

Modelo Comparador: impulsiona o tráfego para o site – Custo por clique

Modelo Marketplace: permite a compra direto no Buscapé – Comissão por venda efetuada

É possível optar pelos dois modelos no mesmo produto. O site tem uma das páginas principais mais simples e acessíveis, disponibilizando produtos de pequenos e grandes lojistas. A plataforma também possui app e funções como “alerta de preço” – informa ao usuário quando o valor de um determinado produto chegou ao desejado -, e “histórico de preço” – mostra a variação da oferta em um determinado período de tempo.

Zoom

Novo proprietário do Buscapé desde maio de 2019, o Zoom – que tem site e app – apresenta um modelo diferente, que dá destaque a ofertas de grandes varejistas. A empresa também cria artigos sobre tecnologia e auxilia o consumidor a analisar custo-benefício dos produtos, além de disponibilizar um canal no Youtube com esclarecimento de dúvidas. Ou seja, além de serem um comparador de preços e um marketplace, eles ainda são referência de conteúdo.

Google Shopping

Lançado em 2011, o Google Shopping mudou totalmente a maneira como encontramos os resultados das pesquisas, melhorando a experiência de compra dos usuários. Isso porque não só tornou mais prático comparar preços como também obrigou os lojistas a melhorarem seus recursos para se destacarem. A diferença dele para os demais citados é que a integração é direta com o Google, de forma patrocinada. A definição de valores de investimento e lances é realizada através do Google Ads e os resultados são baseados em palavras-chave.

DOS COMPARADORES DE PREÇO PARA OS MARKETPLACES

Com a evolução dos e-commerces e o surgimento dos marketplaces, pode-se perceber que os comparadores de preço foram perdendo cada mais espaço. Isso porque os benefícios que ele disponibiliza, os marketplaces também disponibilizam, com mais facilidade, já que você pode comprar diretamente no site, ao invés de ser direcionado a outra página.

Os comparadores de preço seguem interessantes, então?

A resposta é sim. Em alguns nichos de mercado, os comparadores ainda detém muitos acessos e podem gerar uma receita interessante. Nesses nichos, se você tem um preço competitivo, é extremamente importante você estar presente. Não estar lá, pode significar uma perda de presença, reconhecimento da marca e faturamento.

Além disso, os comparadores são muito utilizados para uma análise de mercado e de precificação. Os dados lá presentes são interessantes, pois é um canal onde é possível encontrar muitos lojistas diferentes – em um só lugar. Se você for fazer uma pesquisa em um marketplace, você corre o risco de limitar muito suas informações, pois eles têm regras próprias de exclusividade, por exemplo, que podem eliminar muitos lojistas que deveriam estar na sua pesquisa de mercado.

PROCURE AGÊNCIAS QUALIFICADAS!

Com esse artigo, você pôde perceber que a efetividade dos comparadores de preço depende de diversos fatores. O que a Wave recomenda é que você procure uma agência especialista, para que ela faça a análise para você. Por mais que você tenha que investir nessa análise, é melhor do que criar expectativas em cima de uma estratégia que não funciona para o seu negócio, e ainda perder dinheiro com isso.

Podemos te ajudar! Entre em contato com a gente e peça um orçamento.

Apaixonada por marketing e redação. Graduanda em administração na Universidade Federal do Rio Grande do Sul e entusiasta da boa comunicação e da troca de ideias e experiências.

Escreva Um Comentário