E-commerce

Tendência de mercado: o consumo de bem-estar

Pinterest LinkedIn Tumblr

Segundo o relatório da Euromonitor Internacional de Tendências de Consumo para 2020, há um forte consumo de produtos relacionados a bem-estar e autocuidado previsto para esse ano. Com o mundo cada vez mais acelerado, a preocupação com doenças psicológicas, bem como o aumento da cultura de cuidado com o corpo e a mente vem fazendo com que os usuários procurem alternativas naturais para se sentir bem. O nicho é um forte potencial de vendas, e prioriza as empresas que geram valor agregado aos produtos.

Realidade brasileira

A Organização Mundial da Saúde aponta que um entre quatro adultos no mundo sofre de ansiedade, e menos da metade recebe tratamento. O caso do Brasil é grave: é o país com maior índice de ansiedade do mundo9,3% das pessoas sofrem com o transtorno – e com o segundo maior índice de depressão – 5,8% da população sofre, e 25% já sofreu, sofre ou irá sofrer em algum momento da vida um caso de depressão.

Apesar disso, segundo uma pesquisa do Ibope de 2019, 63% dos entrevistados entre 25 e 34 anos teriam vergonha de contar para a família caso recebessem um diagnóstico da doença. Surpreendentemente, apesar do tabu da depressão entre as pessoas de maior idade, os entrevistados de 55 anos ou mais foram os que mais apresentaram conhecer sobre o assunto: 58% acreditam que a medicação é eficiente para o tratamento. Essa porcentagem cai para 47% entre os mais jovens. 

Lidando com o problema

Antigamente, as pessoas tinham o péssimo hábito de descontar os seus desequilíbrios e frustrações em produtos como cigarro e bebidas. Esse tipo de posicionamento vem evoluindo com o passar dos anos, em que o exercício físico e melhores hábitos alimentares passam a ocupar um espaço maior no cenário de consumo, a ponto de modificar tradições antigas. Dessa forma, os consumidores estão optando cada vez mais por produtos que ajudem no alívio do estresse e incentivem o autocuidado de forma natural, sem prejudicar a saúde física.

Ou seja, a ideia é investir em itens ou serviços que tragam um efeito positivo para a sua saúde mental, para melhorar o humor, incentivar o relaxamento e aliviar o estresse. O consumo de bem-estar está relacionado com o fato de que o usuário está mais preocupado com o resultado que esse consumo irá proporcionar a ele do que com o produto em si. O que se observa, portanto, é uma grande oportunidade para nichos que vendem artigos para relaxamento, cremes de cuidado com a pele, materiais que auxiliam no alívio de tensões, etc.

Além disso, cada vez mais as pessoas optam por comprar de marcas que transmitam valores compatíveis com os seus. É importante que exista um posicionamento associado ao produto. Portanto, o simples fato da empresa falar sobre esses assuntos ajudando a quebrar o tabu a respeito da depressão e da ansiedade, já pode ser um fator determinante para o consumidor. O fato do assunto estar em pauta e ser uma preocupação da população é um indicativo de que existem pessoas que gostariam de receber conteúdo sobre isso, representando uma boa oportunidade  também para sua estratégia de marketing.

Pandemia do Novo Coronavírus

A pandemia, no entanto, fez com que aumentasse o abuso de álcool e drogas, levando inclusive a OMS a recomendar a restrição da venda desses produtos. Segundo o psiquiatra André Malbergier, professor do Instituto de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da USP, as pessoas justificam o consumo pela situação inusitada: “Elas acham que estão vivendo uma coisa anômala e que podem compensar o mal-estar com coisas que dão prazer, principalmente comida, bebidas e drogas”.

Apesar disso, de acordo com a Pesquisa da Nielsen 2020, cresceu também o interesse por produtos para a manutenção geral da saúde e bem-estar. Esse tipo de comportamento, inclusive, fez com que a empresa de varejo Amaro criasse uma categoria nova no seu site e aplicativo, chamada “Beleza e Saúde: produtos de bem-estar”. Nela, são vendidos utensílios de maquiagem, cuidado com a pele, chás, essências e cosméticos naturais com propriedades terapêuticas que prometem propiciar calma, serenidade e conforto.

O consumo de bem-estar dentro da empresa

Se a sua ideia é vender um produto relacionado à saúde ou ao bem-estar, é completamente incoerente não dar a atenção devida a isso dentro da sua empresa, entre os seus funcionários. Portanto, certifique-se de que eles têm o suporte necessário e veem você como uma pessoa confiável para abrir o jogo sobre os seus transtornos psicológicos. Depressão é uma doença, e deve ser tratada no ambiente de trabalho exatamente dessa forma.

Além disso, proporcionar um espaço adequado, priorizando conforto, harmonia e tranquilidade, também é fundamental para garantir o bem-estar do seu funcionário. Evite criar tensões desnecessárias e incentive o trabalho em equipe, ao invés da competição. Ser coerente nesse aspecto e vender exatamente aquilo que se faz é primordial, porque o cliente, uma hora ou outra, acaba percebendo o que é de verdade, e o que não é.

Conclusão

Nesse artigo você pode entender a movimentação da cultura e do mercado para a preferência de produtos que aliviam o estresse de forma natural. Essa tendência de consumo de bem-estar substitui, aos poucos, comportamentos prejudiciais como consumo de bebidas alcoólicas ou drogas. Esse é um excelente nicho para investir nos próximos anos, visando sempre um posicionamento coerente e responsável, externalizando os valores que são praticados diariamente dentro da empresa.

Curtiu nosso conteúdo? Que tal nos seguir no insta e acompanhar mais dicas e informações sobre o mundo do e-commerce? Qualquer dúvida, estamos à disposição! 🙂

Leia mais sobre nossos serviços.

@wavecommerceoficial

 

Escreva Um Comentário