E-commerce

O Papel da Acessibilidade Digital no E-commerce

No universo dinâmico do comércio eletrônico, a acessibilidade digital emerge como uma peça fundamental para criar uma experiência inclusiva e equitativa para todos os usuários. Neste blog, queremos explorar a importância de tornar seu E-commerce acessível para pessoas com diversas necessidades, que vão muito além de deficiências físicas. Pretendemos destacar como a implementação da acessibilidade não apenas atende a padrões éticos, mas também se traduz em benefícios para os negócios, ampliando seu alcance e proporcionando uma experiência de compra enriquecedora a todos.

O que é Acessibilidade Digital?

É comum associarmos a acessibilidade a lojas físicas, transporte público e espaços urbanos. No entanto, sua importância se estende a todos os contextos, online e offline, para garantir uma experiência inclusiva e livre de obstáculos.

A acessibilidade digital é caracterizada pela intuição, praticidade e facilidade para qualquer um. Esse conceito abrange não apenas pessoas com deficiência (PcDs), mas também considera idosos, residentes em áreas com acesso limitado à Internet, ou em países em desenvolvimento. Aspectos financeiros, educacionais, contextuais e territoriais precisam ser contemplados para evitar obstáculos entre as pessoas e os negócios.

O principal objetivo da acessibilidade é eliminar barreiras de navegação na internet. Isso significa ampliar o acesso de forma democrática, não se limitando apenas à navegação em uma página. É também oferecer alternativas que permitam aos usuários interagir de maneira ativa com o conteúdo apresentado, promovendo maior autonomia no ambiente virtual e acabando com potenciais obstáculos.

Em determinadas circunstâncias, todos podem enfrentar desafios de acessibilidade. Um produto ou serviço acessível não deve visar apenas PcDs, mas também atender às diversas condições econômicas e sociais citadas acima, e até mesmo situações momentâneas, como alguém com um braço imobilizado, usando o celular sob a luz solar ou em pé dentro do ônibus.

A Importância da Acessibilidade Digital

A acessibilidade digital traz uma série de benefícios que impactam tanto os consumidores quanto o próprio negócio. Aqui estão algumas razões pelas quais a acessibilidade digital é fundamental para E-commerces:

Inclusão de Todos os Consumidores: O mais óbvio de todos: a acessibilidade digital assegura que pessoas com diferentes habilidades e necessidades possam acessar e interagir com o site.

Cumprimento de Normas e Regulamentações: Muitos países têm regulamentações específicas relacionadas à acessibilidade digital. Ao adotar práticas acessíveis, os E-commerces não apenas cumprem as obrigações legais, mas também demonstram responsabilidade social, construindo uma imagem positiva perante os consumidores.

Ampliação do Mercado Potencial: Ao tornar o site acessível, os e-commerces abrem suas portas para consumidores que, de outra forma, enfrentariam barreiras de acesso. Isso resulta em um aumento no número de potenciais clientes, ampliando o alcance do negócio.

Melhoria na Experiência do Usuário: A acessibilidade digital está geralmente associada a uma melhor experiência do usuário. Isso não beneficia apenas pessoas com deficiências, mas todos os usuários. Um site mais fácil de usar, com navegação intuitiva e conteúdo claro, tende a atrair e reter clientes, contribuindo para a fidelização.

Diferenciação Competitiva: Em um mercado competitivo, a acessibilidade digital pode ser um diferencial. Os consumidores valorizam empresas que se esforçam para tornar seus serviços acessíveis a todos. Isso é um fator significativo para influenciar a decisão de compra e a lealdade à marca.

Otimização para Mecanismos de Busca (SEO): Práticas de acessibilidade muitas vezes se alinham com as diretrizes de SEO. Isso significa que, ao tornar um site mais acessível, os e-commerces também melhoram seu desempenho nos resultados de busca, aumentando a visibilidade online.

Redução de Taxa de Rejeição: Sites difíceis de usar ou que não atendem às necessidades de todos os usuários podem ter uma alta taxa de rejeição. A acessibilidade contribui para a redução desse problema, mantendo os visitantes no site por mais tempo e aumentando as chances de conversão.

Barreiras da Acessibilidade

Quais são as principais barreiras da acessibilidade digital, e por que elas acontecem? A revista Forbes fez uma matéria sobre acessibilidade digital em que falou com especialistas no assunto para descobrir as razões.

Fabíola Calixto, especialista em negócios digitais com foco em acessibilidade na Alavanka Digital, destaca que a falta de visão das empresas sobre os benefícios potenciais desse público é o motivo pelo qual muitas não buscam se adaptar às Tecnologias Assistivas (TA).

Por sua vez, Jaques Haber, diretor de impacto na Equalweb, observa que não há uma rejeição das empresas em se tornarem acessíveis, mas sim uma compreensão limitada sobre os passos necessários para promover a inclusão social. Haber destaca que existe um mito em torno da complexidade da acessibilidade digital.

As barreiras para a acessibilidade de um site podem ser de vários níveis diferentes: desde vídeos e imagens sem legenda até problemas de interface. Por isso, ter um E-commerce acessível requer um planejamento que engloba todos os setores, visando uma transformação integral do site. Aqui, vamos citar alguns dos problemas mais comuns que a acessibilidade digital enfrenta e que você pode se planejar contra:

  • Falta de Descrições Adequadas: Imagens sem descrição ou descrições inadequadas dificultam a compreensão do conteúdo para usuários com deficiência visual.
  • Navegação Complexa: Sites com navegação complexa e estruturas confusas podem ser desafiadores para usuários que dependem de leitores de tela ou têm dificuldades de coordenação motora.
  • Falta de Contraste: Cores inadequadas e falta de contraste podem tornar o texto ilegível para pessoas com deficiência visual ou dificuldades de leitura.
  • Vídeos Sem Legendas: A ausência de legendas em vídeos prejudica a compreensão para pessoas com deficiência auditiva.
  • Formulários Inacessíveis: Formulários online que não são compatíveis com leitores de tela ou não oferecem recursos alternativos podem dificultar o processo de preenchimento.
  • Recursos Não Adaptativos: Sites que não se ajustam a diferentes dispositivos e tamanhos de tela podem criar uma experiência negativa para usuários que utilizam tecnologias assistivas em dispositivos móveis.
  • Falta de Opções de Customização: A ausência de opções de personalização, como ajuste de tamanho de fonte ou preferências de contraste, limita a capacidade dos usuários de adaptar o site às suas necessidades individuais.
  • Conteúdo Não Linear: Algumas plataformas podem apresentar conteúdo de maneira não linear, tornando difícil para usuários de leitores de tela seguir uma sequência lógica.
  • Excesso de Elementos Distrativos: Sites com muitos elementos distrativos, como pop-ups intrusivos ou animações excessivas, podem dificultar a concentração para usuários com autismo ou transtornos de atenção.
  • Ausência de Alternativas Textuais em Links: Links sem textos descritivos significativos dificultam a compreensão do destino do link, afetando a experiência de navegação para usuários de leitores de tela.
  • Dificuldade em Achar Informações: quando o suporte do site, seja por chat, site ou telefone são difíceis de se encontrar, ou quando informações da empresa como nome, CNPJ e endereço não estão em destaque, causando uma má impressão no consumidor.
  • Zoom frágil: A partir do zoom de 200%, os sites se desconfigura, afetando a experiência de quem quer ver detalhes ou tem dificuldades para visão.
  • Confusão na Hora da Compra: opções de compra, desconto, valor e informações de pagamento não estão ditas claramente, deixando o consumidor confuso e/ou assustado.

Esses são apenas alguns dos empecilhos que consumidores podem passar com um site que não preza pela acessibilidade. Isso tem um impacto direto na experiência do cliente, e consequentemente na conversão: segundo um estudo realizado pelo Movimento Web Para Todos, 76% das pessoas que utilizam leitores de tela tem dificuldade de navegação.

Construindo Pontes Digitais – Dicas Para Implementar a Acessibilidade Digital

Uma abordagem inclusiva pode ser incorporada de diversas maneiras, criando uma experiência acessível para todos. Tornar seu E-commerce acessível exige algum trabalho (não tão difícil quanto a maioria pensa), mas possui um excelente custo-benefício.

Começando pelo design do site, priorizar uma estrutura limpa e intuitiva é essencial. Isso beneficia não apenas aqueles com deficiências visuais, mas também idosos e novos usuários na navegação online. Textos claros e bem contrastados, além de fontes ajustáveis, garantem que as informações sejam legíveis para uma ampla gama de pessoas.

A adaptação responsiva é importantíssima, considerando que muitos usuários acessam por meio de dispositivos móveis. Certificar-se de que o site é igualmente funcional e acessível em diferentes tamanhos de tela melhora a experiência para quem utiliza smartphones ou tablets.

Oferecer opções de navegação simplificadas é uma prática valiosa. Menus intuitivos e filtros eficazes auxiliam todos os usuários a encontrar produtos de maneira eficiente. Além disso, proporcionar descrições detalhadas e imagens de alta qualidade beneficia não apenas quem possui deficiências visuais, mas também clientes que desejam informações mais completas sobre os produtos. Fora o ganho em SEO.

Considere implementar recursos de áudio e legendas em vídeos para tornar o conteúdo acessível a pessoas com deficiência auditiva. Garantir que todas as funções do site sejam operáveis via teclado beneficia usuários com dificuldades motoras que podem não utilizar um mouse.

É essencial pensar na acessibilidade financeira, especialmente para aqueles com orçamentos limitados. Evidentemente, isso pode variar conforme o nicho que o seu E-commerce opera, mas oferecer opções claras de pagamento, descontos e promoções pode tornar o processo de compra mais acessível para diversos grupos demográficos.

Manter uma linguagem simples e direta em todo o site beneficia usuários com diferentes níveis de proficiência em leitura, incluindo aqueles com educação limitada. Evitar jargões complexos e fornecer suporte claro durante todo o processo de compra contribui para uma experiência mais inclusiva.

Além disso, considerar a acessibilidade em todas as formas de comunicação, incluindo e-mails e newsletters, é fundamental. Garantir que os conteúdos sejam facilmente compreendidos, independentemente do formato, é um passo importante para atingir uma audiência diversificada.

Em resumo, implementar a acessibilidade digital em um E-commerce envolve uma abordagem holística, que abrange desde o design do site até a comunicação e as opções de pagamento. A acessibilidade não deveria ser um plus, ou aventada apenas após o desenvolvimento do site. Ela é algo primordial, e se torna muito mais fácil quando já é implementada desde a origem do E-commerce.

Tendências

A Equalweb encontra-se atualmente em processo de experimentação de uma tecnologia inovadora denominada OCR, cuja função é realizar descrições automáticas das imagens presentes em um site.

A expectativa é de que o lançamento oficial no mercado brasileiro ocorra nos meses subsequentes. Jaques Haber, cofundador da Equal Web, afirmou que “a descrição será feita por inteligência artificial, o que até o momento é realizado manualmente [pelos criadores de conteúdo que publicam a imagem].”

Inteligências artificiais e outras novidades que estão surgindo, como a realidade aumentada, podem sem dúvidas ser aliadas da acessibilidade digital. A inteligência artificial, em outro exemplo, pode melhorar a acessibilidade digital por meio de leituras automáticas de texto, enquanto a Realidade Aumentada consegue oferecer assistência visual em tempo real, capacitando usuários com deficiências a navegar de forma mais eficiente e independente em plataformas online. Portanto, investir em acessibilidade digital é uma excelente ideia para qualquer E-commerce, benéfica para o negócio e para o cliente, e acompanhando as tendências da internet.

Se você se interessou por esse conteúdo e deseja enriquecê-lo, deixe suas visões nos comentários. E não se esqueça de compartilhá-lo para que outros interessados vejam ele! Até mais!

Tiago Heineck, 21 anos, graduando em Publicidade e Propaganda pela UFRGS. Já trabalhei como copywriter e redator, tendo experiência em agências tradicionais e de marketing digital, atualmente trabalhando em redação de Conteúdo para SEO na Wave Commerce.

Escreva Um Comentário